Tropical Island Resort
Tropical Island Resort

Olá amigos, eu sou a Cris, moro em Blumenau, SC. Estou em tratamento há 4 anos só com prednisona. Descobrir a doença foi angustiante, cheguei a achar que estava louca pela forma que os médicos me examinavam, achando que o cansaço era preguiça as manchas falta de protetor, graças a Deus fui insistente, o que eu jamais faria, de um médico duvidasse de mim ou fizesse pouco caso eu não voltaria mais, mas algo me fez voltar varias vezes, onde ele desconfiou e os exames confirmaram. Certo dia acordei com dores abdominais, eu já estava sentindo a algum tempo mas nunca naquela intensidade, fui pro hospital, a primeira coisa que fizeram foi me encaminhar pra ala da maternidade e pediram exame de gravidez , mulher não pode passar mau que já está grávida... fiz o exame deu negativo, me mandou pra cada. Depois de dias a dor voltou mais forte, dessa vez marquei com o endocrino que consultamos uma vez ao ano para check up e ele me examinou, pediu uma endoscopia, voltei para ver o resultado e apontou gastrite leve, tratei a gastrite, passou um ou dois meses voltei lá, com dores ainda. Era fevereiro de 2014 eu estava bem morena do sol, é muito manchada, manchas enormes nas bochechas e uma bem grande na testa. Na consulta já de cara o médico me questionou de eu sabia da importância de usar protetor solar, eu respondi que sim, que só usava 40 no corpo e 70 no rosto todos os dias reaplicando sempre. Ele não acreditou em mim, eu lembro da cara feia que ele fez como se eu tivesse tentado engana-lo. Aí nesse dia ele pediu um ultrassom. Passou algins dias fiz o exame e retornei, ele disse que não tinha nada, que talvez incluir exercício físico ajudasse nos sintomas e me dispensou. No início do mês de junho mais ou menos eu voltei nele de novo, e falei que ainda estava com as dores, e estavam cada vez mais difíceis de suportar, nesse dia ele foi super atencioso e percebi um olhar preocupado, ele encarava minhas manchas que se fosse só do sol já teriam clareado pois era inverno. Então dessa vez ele pediu vários exames de sangue. Sai de lá, fiz os exames, e era só aguardar os resultados que demorariam 15 dias pra ficarem prontos. Nesse meio tempo fomos viajar para gramado com um casal de amigos que queriam espairecer pois tinham perdido sua filha de 23 dias que nasceu com problemas congênitos. Chegamos em gramado, foi tudo bem. No dia seguinte tive diarreia o dia todo e vomitava até a água, fiquei assim os 3 dias que ficamos lá. Lembro de termos ido ao Snowland e eu ser levada ao ambulatório do local com 39 graus de febre, estando em um local com clima gelado. Passei muito mau na volta pra cada, achei que ia morrer, eu me forçava a tomar água de coco e isotônico pq eu não queria morrer, e eu estava desesperada pq tinha a sensação que iria “desligar” a qualquer momento. Chegamos em casa, melhorei um pouco. Meu marido insistiu pra eu voltar no médico e levar os exames pra ver o resultado mas eu estava relutante pois ele aparentava estar de pouco caso com o que eu sentia. Puxei os exames pela internet e quando vi o acth em 1353 eu me assustei em relação ao valor referência, até pesquisei no Google o que era esse tal ACTH mas confesso que na época não entendi nada. Passou uns dias comecei com dor e fiquei ruim de novo, não consegui consulta pra logo, mas meu marido conseguiu o emai do médico pra mandar os exames pra ele olhar. Acho que não deu 15 minutos do envio do email, a secretaria do médico ligou para Pro meu marido dizendo que o dr Luciano ligou pra endocrino amiga dele e pediu uma consulta de emergência pra mim, ficamos bem assustados, eu ainda brinquei “devo estar morrendo”. Fui na consulta e a médica me deu o resultado, insuficiência adrenal primária. Naquele dia fiquei em choque, eu doença rara? Como assim? Da onde? Lembro de ter ficado no café da clínica quase uma hora pensando sobre a nova notícia. Fiquei preocupada e tal, mas depois passou. Quando eu me acostumava com a ideia, eis que recebemos outra notícia 2 dias depois, eu estava grávida de 5 semanas. Fiquei muito feliz na hora, mas a alegria passou rapidinho com todos os contras da gestão e uso de corticoide. A gravidez teve alguns contratempos, tive descolamento de placenta com 13 semanas, placenta previa que me deixou em repouso até o 6º mês. Passei a gestação muito nervosa e preocupada, meu obstetra sempre me deixou claro dos riscos, mas também disse que existem riscos em gestações onde a mãe não tem doença alguma, que eu devia ter fé e pensar positivo que isso ia ajudar mais. Fui levando, me permitindo chorar, me esforçando sempre pra pensar só no melhor que tido daria certo. E graças ao bom e amado Deus deu tudo certo, meu filho nasceu super saudável com 4265kg e 51cm

Cris Kruguer