Tropical Island Resort
Tropical Island Resort

Me chamo Luana, hoje tenho 35 anos porém minha luta começou a dois anos e meio atrás. Aos 33 anos era uma pessoa extremamente ativa, estudava, trabalhava, fazia estágio, academia e saia muito para dançar uma das minhas paixões. Quando de repente durante o estágio (estágio de Técnica em Raios-x), comecei a me sentir cada dia mais fraca,um cansaço que parecia não ter fim,sem ânimo,sem disposição e comecei a sentir dores terríveis nas costas,no pescoço,em especial ficam caroços como se os músculos estivessem embolados e dores na lombar que me deixavam travada na cama. Sentia dores nas pernas,fraqueza,tremedeiras,as pernas ficavam bambas e muita tontura, parecia uma crise de labirintite daquelas fortes que causam enjoos no qual você não consegue nem levantar da cama e comecei a ganhara muito peso sem explicação. Sempre fui daquelas pessoas magras que pegam uma gripe e perdem kgs na semana. Não engordava por nada antes. Em seis meses engordei mais de 30 kg ,fui de 54 kg a 86 kg. Cheguei a um ponto que a dor, o cansaço, o mal estar e as tonturas cada dia mais fortes me deixaram 8 meses de cama, minha rotina era levantar da cama e ir deitar no sofá não tinha forças para caminhar pela casa e as tonturas também não ajudavam, comecei a precisar de ajuda por que já não podia ficar sozinha muita tonturas, vários apagões, vista turva e desmaios. Procurei o médico clínico geral diversas vezes,onde eram pedidos diversos exames de sangue e os mesmo sempre davam alterados como se tivesse uma infecção( porém sou portadora de psoríase, o que é comum acusar nos exames alteração). Mais inúmeras vezes escutei que o que eu tinha era labirintite, onde fiz tratamento por seis longos meses e não passou as tonturas. Ouvi diversas vezes que as dores que sentia era por que tinha aumentado o peso ou por eu ser portadora de fibromialgia e o cansaço a fadiga também eram pelo peso. Cansei de tomar medicação como se fosse virose sem necessidade. Bom então com tudo isso veio a depressão também, por que por mais que explicasse o que sentia tanto para os médicos, quanto para amigos e familiares parecia soar como frescura ou algo assim para todos. A sensação de frustração era enorme ninguém conseguia entender o que eu sentia o que estava passando nem mesmo os médicos. Troquei inúmeras vezes de médico (clinico geral) e nada, tomei tanta medicação desnecessária a mando de cada médico que passei, alguns chegaram ate me prescrever medicação para tireoide sem eu ter se quer alteração na mesma, alguns passavam anti depressivos, medicações para dormir por que achavam que também estava tendo crises de ansiedade e a minha insônia só piorava, outros passavam medicações para perda de peso, medicação ate para diabete sem eu ter nada disso. Até que então fui a primeira endocrinologista onde fiz um batalhão de exames de sangue, onde constavam que praticamente todos meus exames estavam ótimos, eis que a endócrino pediu o famoso exame de cortisol o de sangue mesmo. Eis que o exame saiu aletrado praticamente não tinha cortisol era 0,2 mg. A Médica também passou um exame chamado ITT de cortisol porém a mesma me apavorou tanto com as complicações que esse exame poderia causar que lá fui eu em busca de outro endocrinologista. A nova endocrinologista pediu milhares de exames de sangue alguns que nunca nem tinha se quer feito na vida, desde de o mais simples hemograma, acth, sdhe, cortisol colhido também pela saliva e até teste de tuberculose e teste para saber se tinha Lupus. E o meu mal estar não amenizava nunca, então ela começou a tratar os meus sintomas sem ter um diagnostico, foi onde comecei a tomar a fludrocortisona mais não senti melhora no começo, então fomos ajustando as doses. Varias hipóteses foram descartadas, depois de mais de um ano consecutivo fazendo exames de sangue a cada quinze dias, tomografias de hipófise, tomografias da adrenal e ressonância da adrenal, onde em fevereiro deste ano de 2019 além dos exames de cortisol sempre muito baixos a ressonância acusou espessamento da adrenal esquerda (espessamento é quando está mais grosso que o normal). Então com a confirmação de tantos exames repetidos insacavelmente e os exames de imagem fui diagnosticada com doença de Adisson.

Luana Martins